segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

GRUPO REBENQUE






Grupo Rebenque foi fundado em 1991, na cidade de São Francisco de Assis (Capital Mundial do Bugio), porém hoje se localiza no município de Cachoeirinha. Nos anos 90 saíram do interior de São Francisco de Assis, onde eram conhecidos com o nome “Os Mandurins”. Os irmãos Antônio, Jesus e Amir, chegaram à cidade e ao balanço de um Veraneio, embalaram os fandangos pelo interior do município e depois na cidade, e em outros municípios também, já com o nome “Rebenque”.

Hoje o Grupo Rebenque tem cinco CDs gravados, citando dois de seus sucessos, um LP lançado em 1995 com o título “Estilo Campeiro”, e em fevereiro de 2014 o Grupo Rebenque lança seu CD “Dê-lhe Vaneira”. Com 14 faixas, o disco aposta em Vaneiras, como a faixa-título e Ronco da Gaita Véia, o xote Rincão do Espinilho e a milonga Nunca Vou te Esquecer.

Colecionam participações em vários programas de TV, rádios e festivais, incluindo o Rio Grande Canta Erval, o Primeiro Grito Pampeano de Canarana, Mato Grosso, terceiro Festival de Conjuntos da Rádio Liberdade FM, sendo que foi vencedor do Festival Querência do Bugio de São Francisco de Assis.
Em junho de 2014, o Grupo Rebenque subiu a serra para mostrar a qualidade da sua música fandangueira em uma gravação do programa Etnias, que é apresentado por Xiru Pereira, e do programa Terra, que é apresentado por Omair Trindade.

Link da Gravação do programa:

Em uma matéria para o Escuta Essa do “ClicRBS”, Rogério Melo, da dupla com César Oliveira, menciona o “Grupo Rebenque”, desejando muito sucesso ao grupo e dê-lhe vaneira!

Hoje o Grupo Rebenque é gerenciado pelos Irmãos Jesus Marques, Amir Marques e Rafael Marques (filho de Jesus Marques). O Grupo disponibiliza uma excelente estrutura de som e luz e ônibus de primeira qualidade fazendo seus shows e bailes serem altamente profissionais de grande excelência.

Sempre levando a cultura gaúcha no peito, tocando suas músicas autênticas e fandangueiras do nosso Rio Grande Do Sul, sem perder a essência do tradicionalismo. Um grupo que por onde passa leva toda a sua alegria para os palcos, respeitando a nossa tradição sempre.
Profissionalismo de 26 anos de história!! 

CONTRATE GRUPO REBENQUE:
Shows, Rodeios, Formaturas, Bailes, Sarau de Prendas, entre outros eventos artísticos. 

O Grupo Rebenque está com sua agenda de 2017 aberta, entre em contato pelos telefones:
51 99629.2008 / 51 99465.6837 / 51 98114.6132 com Jesus Marques WhatsApp: 51 98936 6369

Fonte! Este chasque com todos os retratos, foi editado e remetido por Michele de Oliveira Bermann - 1ª Prenda do CTG Campeiros do Sul (o pioneiro do tradicionalismo organizado de Alvorada/RS).



Simplicidade, tradicionalidade e voluntarismo em debate no MTG



O conselheiro benemérito e ex-presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Manoelito Carlos Savaris, no 65º Congresso Tradicionalista, realizado de 13 a 15 de janeiro em Bento Gonçalves, apresentou proposta de reflexão acerca dos rumos da entidade em consonância com seus objetivos e princípios.
"A proposta que apresentamos pretende despertar à comunidade tradicionalista para refletir sobre aspectos ideológicos do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Trata-se de um documento longo e que resultou de muitas observações e alguns debates no âmbito tradicionalista”. São alguns exemplos a questão de uso e custos de indumentária; os custos que os CTGs têm com musicais e instrutores de danças e o conceito que os tradicionalistas dão ao termo ‘amador’, entre outros.
O documento apresentado por Savaris tem uma divisão didática e começa com um pouco de história, passa pela fundamentação ideológica já consolidada e apresenta um diagnóstico do momento atual do movimento.
Segundo Savaris, três características são fundamentais para que o Movimento exista como tal: simplicidade, tradicionalidade e voluntarismo. “O debate deve encontrar caminhos para que os CTGs possam continuar existindo e para que o Movimento não pereça. Queremos despertar o debate para resolver os problemas que envolvem musicais, instrutores de danças, avaliadores, custos de indumentária, nível de exigência nas avaliações e buscar o retorno, tanto quanto possível, do trabalho voluntário sem remuneração”, afirmou.


Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

18ª CAVALGADA CULTURAL DA COSTA DOCE



A tradicional Cavalgada Cultural da Costa Doce, uma das mais bonitas e organizadas do Estado, começa no dia de hoje, 19 de janeiro e vai até o dia 29, passando por lugares que são verdadeiros colírios para os olhos dos participantes. O movimento é organizado pelo grupo “Cavaleiros da Costa Doce” e o tema deste ano é “Caminho Farroupilha no Rastro da História”.

De acordo com os organizadores, são esperados neste ano cerca de 180 cavaleiros que participam para reviver a tradição e a história ao percorrer cerca de 270 quilômetros margeando a Lagoa dos Patos. As trilhas passam pelos municípios de Barra do Ribeiro, Tapes, Arambaré, Camaquã, São Lourenço do Sul, Turuçu e Pelotas nos quais são feitos algumas paradas estratégicas para o descanso de cavalos e cavaleiros. Em cada parada uma pausa para integração com os moradores locais quando uma roda de chimarrão, um bom churrasco e uma tertúlia mostram a hospitalidade do gaúcho.

O diretor social do projeto, Carlos Souza Gonçalves diz que participam cavaleiros de 8 a 80 anos e que além de cavaleiros experientes há também turistas inclusive de outros estados e até países vizinhos como o Uruguai. De acordo com ele, o grande objetivo do evento é a confraternização e o intercâmbio cultural.

Mais informações:

Site:www.cavaleirosdacostadoce.com.br
https://www.facebook.com/cavaleiros.dacostadoce
E-mail: ccd18@cavaleirosdacostadoce.com.br
Fone: (53)9103-3410

Definido Tema Tradicionalista para 2017


Resgatando os legados de 47 – 70 anos da Chama Crioula e do Grupo dos 8” será o tema tradicionalista de 2017
O 65º Congresso Tradicionalista Gaúcho, realizado de 13 a 15 de janeiro em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, foi palco da escolha do tema anual do tradicionalismo para 2017. Proposto por Hélio dos Santos Ferreira, foi escolhido o tema ‘Resgatando os legados de 47 – 70 anos da Chama Crioula e do Grupo dos 8”. Sua proposta concorria com duas outras, “O Tradicionalismo Constrói para o Futuro”, proposto por Bianca Machado Correia e Marco Antônio Saldanha Junior e “Gaúcho de nascimento, tradicionalista por opção”, de Djalma Ribeiro Menezes.
O autor, em sua justificativa, enfatizou a importância de destacar a data especialmente para as novas gerações, que estão renovando os quadros do Movimento Tradicionalista e para quem deve-se repassar e mostrar como tudo começou, especialmente os ideais, pensamentos, objetivos, sonhos... “Defendo a ideia de que, de quando em quando, o Movimento deve forçar o resgate destes legados, relembrando os fatos e atos do nosso nascedouro. Mesmo que em nível de MTG tudo isso seja constantemente lembrado, precisamos levar para todos os tradicionalistas, pois ainda temos nos “fundões” desse Rio Grande pessoas que não conhecem seus detalhes ou desconhecem por completo como iniciou o movimento organizado”, afirmou.
A partir da definição do tema, as entidades tradicionalistas alinham suas ações, ao longo do ano, de forma a propagá-lo em todas suas atividades. Em 2017, a chama crioula será gerada no município de Mostardas, de onde será distribuída para as 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul e também para entidades de fora visitantes.

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

3º Fegadan e 2º Fegachula acontecem em Caxias do Sul nos dias 8 a 11 de dezembro

                                              

                                  Foto: Dança da Integração Edição 2015

O 3º Fegadan – Festival Gaúcho de Danças acontece em Caxias do Sul, na serra gaúcha, nos dias 8 a 11 de dezembro. A realização é do MTG – Movimento Tradicionalista Gaúcho, através da vice-presidência artística, coordenada por José Roberto Fishborn, e terá como evento paralelo o 2º Fegachula – Festival Gaúcho de Chula.
O Fegadan tem por finalidade a preservação, valorização e divulgação das danças tradicionais gaúchas, primando pela espontaneidade no bailar, baseando-se nas obras publicadas por João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa.  Segundo o regulamento, os concursos serão divididos nas categorias Mirim - até 13 anos; Juvenil - até 17 anos; Adulta – mínimo de 15 anos; Veterano - mínimo de 30 anos e Xiru - mínimo de 40 anos. Paralelo aos concursos de cada categoria também estarão competindo Indumentária mais autêntica, Musical mais autêntico e mais fiel aos temas apresentado e Melhor acampamento.
Já o Fegachula será realizado nas categorias Infantil (Piazito) - até nove anos;  Mirim - até 13 anos; Juvenil - até 17 anos; Adulta – mínimo de 15 anos; Veterano - mínimo de 30 anos; Chula Trio ou Quarteto ou Quinteto (nesta modalidade as idades serão livre, podendo inclusive mesclar categorias). Na categoria Piazito devem ser apresentados quatro passos; na Mirim cinco passos; na Juvenil seis passos; na Adulta sete passos; na Veterano cinco passos e na Chula Trio/Quarteto/Quinteto um total de quatro passos.
O vice-presidente artístico do MTG, José Roberto Fishborn, está otimista com a realização do evento. Já o presidente da instituição, Nairo Callegaro, destaca a importância do evento na preservação do estilo de dança conhecido como João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa e também a parceria com o CTG Pousada dos Tropeiros, no distrito de Críuva, em Caxias do Sul.


Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Doadores de sangue, portadores de deficiência e alunos da rede municipal terão acesso grátis ao Enart


O Movimento Tradicionalista Gaúcho divulgou, nesta semana, os valores dos ingressos para o Enart – Encontro de Artes e Tradição, que acontece de 18 a 20 de novembro em Santa Cruz do Sul. Além de manter os mesmos valores da tabela do ano passado, proporcionando a possibilidade de acesso ao maior número possível de pessoas, como ação de envolvimento social e comunitário os organizadores decidiram por liberar gratuitamente o ingresso a doadores de sangue cadastrados no Hemovida da cidade, portadores de deficiência e alunos credenciados da rede municipal de Santa Cruz do Sul.
Segundo o vice-presidente artístico do MTG, José Roberto Fishborn, o Enart se caracteriza por ser um grande evento popular, que valoriza a arte, a tradição, mas também o encontro, a união e a confraternização de pessoas. “É uma linda festa e queremos, cada vez mais, sermos mais inclusivos, sem qualquer distinção”, afirma.
Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, são aguardadas cerca de 60 mil pessoas no evento.

Confira os valores dos ingressos:
Adulto (ingresso diário): R$ 15,00
Adulto (pulseira permanente para sexta, sábado e domingo): R$ 40,00
Criança de 10 a 12 anos (ingresso diário): R$ 7,00
Criança de 10 a 12 anos (pulseira permanente para sexta, sábado e domingo): R$ 20,00
Idoso acima de 60 anos (ingresso diário): R$ 7,00
Idoso acima de 60 anos (pulseira permanente para sexta, sábado e domingo): R$ 20,00
Estudante com carteira (ingresso diário): R$ 7,00
Estudante com carteira (pulseira permanente para sexta, sábado e domingo): R$ 20,00
Pessoas com deficiência: livre
Concorrentes credenciados: livre
Estudantes do ensino fundamental da rede pública de Santa Cruz do Sul (credenciados): livre
Doadores de Sangue de Santa Cruz do Sul (credenciados ao Hemovida²* – Santa Cruz do Sul): livre

Valores para veículos (seguro incluso. Condutor do veículo e acompanhantes pagarão o valor do ingresso individualmente)
Automóvel: R$ 40,00
Ônibus: R$ 100,00
Motocicleta: R$ 10,00

Obs.: Terão direito ao benefício os estudantes regularmente matriculados nos níveis e modalidades de educação e ensino previstos no Título V da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que comprovem sua condição de discente, mediante a apresentação, no momento da aquisição do ingresso e na portaria do local de realização do evento, da Carteira de Identificação Estudantil (CIE), emitida pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), pela União Nacional dos Estudantes (UNE), pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), pelas entidades estaduais e municipais filiadas àquelas, pelos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) e pelos Centros e Diretórios Acadêmicos, com prazo de validade renovável a cada ano,

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Um cinquentenário de muita história e emoções



O mês de outubro de 2016 entrará para a história do MTG. Completamos 50 anos de uma jornada construída com trabalho de muitas pessoas, com lutas, sacrifícios, vitórias e derrotas. Ao longo do ano foram realizadas homenagens nas Câmaras Municipais e em nível federal. Os eventos do MTG sempre pautaram estas homenagens envolvidos em um espírito agregador, de muita união e busca de solução para nossas necessidades.

Nas entidades e regiões tradicionalistas eventos foram direcionados ao cinquentenário, não somente para celebrarmos, mas principalmente, para refletirmos a respeito de nossa relação com a instituição, a sociedade e nosso comportamento como grupo social.

Muitas questões estão sendo debatidas, discutidas e aprofundadas de uma forma leve,  com calma e reflexão, em nível de direção com as Regiões Tradicionalistas, lideranças de entidades e principalmente junto aos jovens, exercitando a capacidade de pensarmos de forma coletiva, participativa e capaz de despertar um processo de construção de  novos caminhos e alternativas para seguirmos em frente, preservando e fortalecendo nossos valores fundamentais.

Realizamos em Porto Alegre uma grande festa. Muitos foram homenageados:  tradicionalistas, entidades, a imprensa, o MTG. Realizamos a maior cavalgada realizada em nossa capital. Voltamos ao ano de 1947. Fomos ao colégio Julio de Castilhos, onde homenageamos a escola e depois rumamos ao 35 CTG. Em ambos fomos recebidos pelo grande pensador e idealizados deste movimento, o Sr. Paixão Côrtes. Acima de tudo foi a demonstração de reconhecimento de todos a este processo social iniciado na década de quarenta, a aproximação e união referenciando o momento de início de nosso movimento, as nossas origens, o nosso marco zero.

Uma festa que, acima de tudo, enalteceu a história, fortaleceu nossa instituição, reatou caminhos que haviam se perdido e mostrou acima de tudo a capacidade de superação na realização de seus eventos. Outro aspecto a enaltecer foi a exposição no memorial do Rio Grande do Sul, “50 anos do MTG – Tradição e Legado”, um momento extremamente importante que leva ao encontro da sociedade a memória desta instituição, aproximando com o centro cultural de Porto Alegre, a Praça da Alfândega, um pequeno projeto, mas um grande passo para incluirmos o MTG em uma grandeza diferente junto aos setores culturais do Estado.

Mas não podemos deixar de citar neste mês de novembro a realização de nosso maior festival – o ENART. Vamos acima de tudo para Santa Cruz do Sul continuarmos a celebrar o cinquentenário do MTG, realizarmos de forma harmônica um festival que representa muito e demonstra nossa força de organização, emoção e superação. Isto é o nosso Enart, com uma participação ampla que oportuniza a todos o direito de fazerem parte desta grande festa.

Desejo a todos grandes momentos, emoções e encontros, o fortalecimento de amizades e a descoberta de novas, a compreensão, a sinceridade e a capacidade de união, que somente nosso movimento ainda é capaz de realizar. Um abraço a todos e Vida Longa ao MTG.

Nairo Callegaro
Presidente do MTG

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Com presença de Paixão Côrtes é aberta Exposição 50 anos do MTG – Tradição e Legado


O Memorial do Rio Grande do Sul, na Praça da Alfândega, em Porto Alegre, é palco até o dia 30 de outubro da exposição "50 ano do MTG - Tradição e Legado". O evento é uma realização do Movimento Tradicionalista Gaúcho, presidido por Nairo Callegaro, com curadoria de Lara Lindenmeyer, Wanessa Welter, Vera Rejane Freitas Fernandes e Vilma Conceição Paese. A solenidade de abertura, no dia 18, contou com a presença de Paixão Côrtes, muito admirado pelos tradicionalistas pela sua história e contribuição para a preservação da cultura gaúcha. Em seu pronunciamento, Paixão Côrtes falou sobre tradição e cultura. O presidente do MTG, Nairo Callegaro, em seu pronunciamento falou sobre a importância social e cultural do Movimento, sobre a importância de se manter a simplicidade no cultivo das tradições e agradeceu pela oportunidade de realizar no Memorial uma exposição que apresentará a história da instituição para a sociedade.
A solenidade contou com a presença do Secretário Estadual de Cultura, Vitor Hugo, e do presidente do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, Vinicius Brum.
A exposição prossegue até o dia 30 de outubro. Duas outras atrações acontecerão ao longo dos próximos dias. Uma delas é, no dia 26 de outubro, o painel “50 Anos do MTG”, às 19 horas, abordando História, legado e o futuro do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Para o dia 27 de outubro está agendado painel com o escritor Alcy Cheiche, às 19h, quando falará sobre Obras literárias - a importância da cultura regional para identidade do Gaúcho.


Fotos: TV Tradição e Vera Lucia Otton


Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG



terça-feira, 18 de outubro de 2016

Exposição apresenta 50 anos do MTG – Tradição e Legado


 
O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, de 18 a 30 de outubro, a Exposição "50 ano do MTG - Tradição e Legado". O evento acontece no Memorial do Rio Grande do Sul, com entrada gratuita.
A solenidade acontecerá no dia 18 às 19h, com a participação do escritor Paixão Côrtes, que falará sobre "Tradição e Cultura". Outra atração será, no dia 26 de outubro, o painel “50 Anos do MTG”, às 19 horas, abordando História, legado e o futuro do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Para o dia 27 de outubro está agendado painel com o escritor Alcy Cheiche, às 19h, quando falará sobre Obras literárias - a importância da cultura regional para identidade do Gaúcho.
Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, trata-se de um momento importante para assinalar a passagem do cinquentenário da instituição. A presença de Paixão Côrtes, um dos idealizadores do resgate da cultura local, que desde 1947 fortalece o sentimento de orgulho e pertença dos gaúchos, é uma grande honra.

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

1° Canto Galponeiro da Música Gaúcha tem seus vencedores em Passo Fundo


Encerrou neste domingo (9) a primeira edição do Canto Galponeiro, no Gran Palazzo em Passo Fundo. Foram 641 músicas inscritas para o Festival, destas 4 se classificaram para a fase final na categoria local e outras 10 músicas na categoria geral.
A música Galponeiro de Érlon Péricles e Guilherme Castilhos foi a vencedora do fetsival. Os grandes vencedores receberam um prêmio de R$ 4 mil, além de troféu. O segundo lugar ficou com a vaneira A gaitinha Botoneira de Adams Cezar de Erechim.
O terceiro lugar ficou com a música Pra quem não escolhe serviço, de Rômulo Chaves e Nilton Ferreira de Jaguari. O melhor intérprete foi Ita Cunha de Porto Alegre. Na categoria de melhor gaiteiro, Ricardo Comassetto de São Luiz Gonzaga.
A melhor letra ficou com a música Seu outono quase inverno de Leonardo Quadros de Viamão. O melhor Instrumentista foi Guilherme Castilhos de Porto Alegre. E por fim a música mais popular, Carreirradas, letra de Clóvis Mendes e José Florenal da Silva.
*Rádio Uirapuru