quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

O TRADICIONALISMO E A MÚSICA GAUCHESCA TRADICIONAL !



No Tradicionalismo, Grupos Musicais devem honrar as Tradições do Povo Gaúcho Sul-brasileiro! As diferenças entre a música sul-rio-grandense, a regional gaúcha e a gauchesca tradicional devem ser conhecidas e entendidas, para o bem do Tradicionalismo Gaúcho. A música sul-rio-grandense ou simplesmente "gaúcha" é aquela produzida no Rio Grande do Sul, independentemente do estilo empregado. Nesse sentido o "rock", o "funk", o pagode e outros gêneros musicais feitos no Estado. A música regional gaúcha é aquela que se utiliza tanto de temas campeiros como urbanos e, ainda, outros relativos ao jeito gaúcho de viver, mediante ritmos musicais não necessariamente tradicionais. Como exemplos citamos as músicas chamadas de "nativistas" e as "mercadistas" com conteúdos chulos e enderaçadas ao grande público. Ambas – a sul-rio-grandense e a regional gaúcha - estão permanentemente na busca de mercados, regional e nacional. A música regional gaúcha, inclusive, nos últimos tempos vem sendo fortemente descaracterizada por músicos e gravadoras. Ao incorporar outros ritmos, outros andamentos e outros compassos, com vistas à ampliação da vendagem de seus “novos” trabalhos, ou seja, com o intuito de formar e conquistar mercados consumidores junto aos demais Estados Brasileiros e ao Mercosul - Mercado Comum do Sul, essa "música regional gaúcha" decaiu muito em qualidade. Essa decadência se deu no campo cultural-regional-moral, diante do baixo nível musical e de conteúdo. Portanto, nem é preciso dizer que no âmbito do Tradicionalismo não deve haver espaço para esses interesses meramente comerciais. No interior das Entidades filiadas ao Movimento Tradicionalista Gaúcho organizado, e de seus eventos tradicionalistas, em observância aos postulados filosóficos que fundamentam a ideologia tradicionalista, só a música gauchesca tradicional deve ser executada. Como associações sem fins lucrativos e essencialmente culturais que são, cuja finalidade é a de culto, defesa, valorização, preservação e divulgação da arte, do folclore e das autênticas tradições do Povo Sulista Brasileiro, as Entidades Tradicionalistas devem evitar a promoção de músicos e músicas que venham a contrariar aos seus altos objetivos culturais e aos seus desígnios de Centros de Tradições Gaúchas, de Entidades Santuários da Tradição. Seus palcos não são locais adequados para “shows” nem para a promoção de trabalhos que não dignifiquem a tradicional música gauchesca e a indumentária campeira dos Gaúchos do Rio Grande do Sul. Muito pelo contrário! Nestes e em qualquer outro recinto tradicionalista há que se ter presente que nem todas as músicas gaúchas são conciliáveis com os objetivos institucionais do Tradicionalismo e nem todos os artistas e grupos musicais "gaúchos" são Tradicionalistas. No âmbito do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro todos os que dele participam são devedores de um comportamento compatível com a sua Filosofia Tradicionalista, as suas diretrizes internas para o uso da música tradicional e da genuína pilcha gaúcha do Garrão Sul-brasileiro; da coerência regional e do devido respeito a esse sagrado Patrimônio Cultural do Povo Gaúcho Sul-brasileiro; as autênticas Tradições dos Gaúchos Centauros das Coxilhas do Rio Grande do Sul, os Campeiros do Brasil!

Fonte: Bombacha Larga

14 comentários:

junne_centurion disse...

Sou catarinense, mas minha alma é gauchesca, ouço somente a verdadeira música do Rio Grande, e assim como os gaúchos de verdade penso que a música tradicionalista e a música gauhesca tradicional não deve jamais sofrer interfenrência de outros ritmos musicais, para não desvirtua-la.

Um Abraço

mutantes hard core disse...

em viajem à cerra gaúcha pude ter breve contato com toda essa cultura, ainda que de modo muito passajeiro. Sentí-me convidado a conhecê-la e multiplic-á-la. Como músico, penso na possibilidade de pesquisar algo do repertório gauchesco, e aí firmar minha base proficional. Há que se analisar a origem das influências que nos abordam, a nós e nossa cultura. Séculos de construção dialética não podem estar a venda por esse ou aquele cachê, ou essa ou aquela aparição nesse ou naquele canal midiático. Sou fluminênce de Nova Friburgo. E aprendi valorizar as características do povo cerrano, seu vocabulário, hábitos e cultura. A acimilação da cultura musical gaúchesca não representa uma substituição, mas uma acimilação, uma encorporação, independente de bonus midiático.

Anônimo disse...

serra gauha é com s ñ com c

Anônimo disse...

... e passageiro é com "g"

Anônimo disse...

e profissional é com SS e nao C

Anônimo disse...

e o não? Tem "ã"

Tiago Luis disse...

Dia 15, Quarta às 19h30 - Fórum
Entreveiro Musical
César Oliveira e Rogério Melo + Luiz Carlos Borges
A Fnac e o dueto César Oliveira e Rogério Melo convidam para a 6ª edição do Entreveiro Musical, encontro para os apaixonados pela música tradicional, realizado a cada dois meses. O projeto iniciado em abril chega ao final de 2010 com planos de seguimento para 2011, e uma edição para deixar saudades. O convidado é o cantor, compositor e acordeonista Luiz Carlos Borges, artista com larga trajetória ligada à renovação da música regional gaúcha e mais de 26 discos gravados.

JK MARINHO - jkmarinho@bol.com.br disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

sou do ctg chão sagrado de cafelandia paraná e estou muito feliz pois ganhei em 1ºlugar na categoria canção estou emocionada por ter conquistado o titulo solista vocal prenda mirim se voces quiserem contato entre no meu email:lorenacalina@bol.com.br

Anônimo disse...

Gaúçho qua realiza uma leitura, não fica detalhando acentuação ou ss, quem fica criticando erros de português em páginas de tradicionalismo deve ser uns bichinhas, ou bixinhas, como preferirem. Forte Abraço ao povo Tradicionalista deste Mundão a dentro!

Anônimo disse...

Falou, falou e não disse o que é a tal música tradicionalista gaúcha!
Coisa de gaúcho.

Rubia Cordeiro disse...

Pra quem nao entendeu tche,musica tradicionalista gaucha eh aquela feita no estado gaucho,ou seja RS.
Ou seja,aquela musica bagual que faz o pezito coçar quando se escuta ela!!
Esclarecidas tuas duvidas??
Eu amo esse tipo de musica,apesar de nao ser gaucha do RS,meu coraçao eh bagual e eu sou muito feliz por ser sulina!!

REGINIA MARIA DA SILVA. disse...

Bom dia , parabéns é a primeira vez que venho a essa pagina amei sou gaucha tche

Lorenzo Tavares disse...

Aposto que está feliz por alguém estar comentando no seu fórum depois de tanto tempo, quando ver isso saiba que seu blog ajuda pessoas a entenderem o valor do tradicionalismo e terem noção do lugar que moram e respiram o ar gaudério, abraço.