quinta-feira, 25 de setembro de 2008

AS CAUSAS DA REVOLUÇÃO FARROUPILHA POR DOROTÉO FAGUNDES

Buenas Amigos!

No dia 20 de setembro oficialmente encerrou a Semana Farroupilha e não podia ser outra nossa matéria se não seguir contando a minha maneira, o que aprendi com o historiador Antônio Augusto da Silva Fagundes, sobre as principais causas da revolução eclodia há 173 anos, que não foi só pela causa do charque, foi por causas sociais, econômicas, militares, políticas e maçônicas.

Das causas SOCIAIS salientamos que: O império só se preocupava em onerar a Província de São Pedro do Rio Grande. Se precisava de soldados convocava a força; Os que morriam peleando azar da família, os mutilados azar deles que se virassem como peão patieiro quando muito ou mendigo;

Para o Rio Grande do Sul que sempre viveu em guerra podemos imaginar quantas estâncias foram dizimadas na defesa do Império, quantas tropilhas foram requisitadas, quanto gado foram abatidos, quantos homens foram mortos, quantas viúvas, órfãos e mutilados ficavam desassistidos?

Das causas ECONÔMICAS salientamos que a Província de São Pedro do Rio Grande, sempre fora estalagem do império. A corte levava quase tudo dos impostos e não devolvia nada, deixava o mínimo para sustento institucional, o exército imperial em tempo de paz, sem pedir permissão, sem consentimento ou medir conseqüências de prejuízo do estancieiro, se aboletava numa estância e a sugava sem restituição pelo sustento;

Das causas MILITARES salientamos que a maioria dos oficiais farroupilhas já tinham defendido o império em outras campanhas e esses sempre foram relegados a quinto plano, eram os primeiros chamados a qualquer sinal de invasão castelhana e nunca lembrados para receber melhores soldos, honraria e terras, além de verem seus bravos e humildes soldados que só saiam do campo de guerra depois do último tiro, voltar aos seus ranchos ao trabalho de peão sem nenhum reconhecimento;

Das causas POLITICAS salientamos que muitos filhos de estancieiros iam estudar na EUROPA e voltavam com os ideais republicanos, a corrente liberal crescia na América, a abdicação do trono por D. Pedro I e o período regencial descontrolado, colaborava para os liberais imprimirem seus ideais.

Das causas MAÇONICAS temos a adaptação da Maçonaria aos princípios republicanos na divisão dos poderes executivo, legislativo e judiciário. Como de antes, muitos dos farroupilhas e chefes militares-políticos sul americanos eram maçons, a criação de lojas na Argentina, Uruguai e Brasil tornou-se campo fértil dos ideais republicanos, onde foi decisiva sua influência na plano da revolução, e Bento Gonçalves era o Venerável da loja em Porto Alegre, junto de Gomes Jardim, Boticário, David Canabarro , Domingos José de Almeida e outros.

Agora 20 de setembro de 1835 está vivo entre nós e a mui valerosa Porto Alegre dos imperiais, curvou-se a cultura gaúcha que fez nela um dos maiores desfiles do Estado e o maior Acampamento Farroupilha de todos os tempos, definindo claramente quem foi vitorioso dessa ímpia e injusta guerra, e que sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!

Para pensar: Povo que não tem cultura acaba por ser escravo!


fonte: chasque pampeano

2 comentários:

Lika disse...

Mas tu escreves nuito mal. Deverias, ao menos, estudar um mínimo de pontuação!!

Anônimo disse...

lika vc tambem sua cú seco...