quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

A Educação e a preservação dos valores gaúchos tradicionais!

Educar para preservar valores da Cultura Regional-tradicionaldos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul!


Barbosa Lessa, na sua tese O Sentido e o Valor do Tradicionalismo, apresenta duas grandes questões que, segundo ele, de maneira nenhuma podem ser descuidadas pelos tradicionalistas, sob pena deste esforço cultural se desenhar, de antemão, como uma experiência fracassada. Uma dessas questões é a atenção especial às novas gerações; a outra, a assistência ao homem do campo. A tese, aprovada pelo MTG, é considerada, tal qual a Carta de Princípios, uma das bases filosóficas do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. No entanto, tem ela permanecido, de uma maneira geral, tal como acontece com a Carta de Princípios do MTGB, apenas como uma previsão teórica, uma letra morta no contexto tradicionalista gaúcho. Faremos alusão, por ora, apenas à primeira dessas duas importantes questões, formuladas para a concretização dos objetivos tradicionalistas. E para divulgá-la nada melhor do que a utilização das palavras do próprio autor, Barbosa Lessa, que dessa forma explicitou a sua preocupação com a necessária Formação Tradicionalista da juventude gaúcha:

Deve, o Tradicionalismo, operar com intensidade no setor infantil ou educacional, para que o movimento tradicionalista não desapareça com a nossa geração. Porque nós - os tradicionalistas de primeira arrancada - entramos para os Centros de Tradições Gaúchas movidos pela necessidade psicológica de encontrar o "grupo local" que havíamos perdido ou que temíamos perder. Mas as gerações novas não chegaram a conhecer o grupo local como unidade social autêntica, e somente seguirão nossos passos por força de impulsos que a educação lhes ministrar. Por isso não temo afirmar que o dia mais glorioso para o movimento tradicionalista será aquele em que a classe de Professores Primários do Rio Grande do Sul - consciente do sentido profundo desse gesto, e não por simples atitude de simpatia - oferecer seu decisivo apoio a esta campanha cultural. Aliás, não se concebe que as Escolas Primárias continuem por mais tempo apartadas do movimento tradicionalista. Pois a maneira mais segura de garantir à criança o seu ajustamento à sociedade é precisamente fazer com que ela receba, de modo intensivo, aquela massa de hábitos, valores, associações e reações emocionais - o patrimônio tradicional, em suma - imprescindíveis para que o indivíduo se integre eficientemente na cultura comum.

Portanto, se o meio tradicionalista gaúcho tem o mérito de proporcionar uma interação social entre todas as faixas etárias, aonde avós, pais, filhos e amigos se divertem em um salutar convívio, senão o melhor para a família gaúcha brasileira, deve, igualmente, preocupar-se com a formação de todos os que a ele se vinculam. Para isso, devem ser promovidos cursos básicos para crianças e adultos recém-chegados às Entidades Tradicionalistas. É dessa forma, pela Educação e pela transmissão dos conhecimentos da Tradição do Rio Grande do Sul que os futuros Tradicionalistas Gaúchos terão as condições de desenvolver a necessária Consciência Tradicionalista, de desvendarem as formas ideais e os motivos para o culto, a defesa e a preservação das verdadeiras, as autênticas Tradições do Povo Gaúcho Sul-brasileiro!

FONTE: BOMBACHA LARGA

Nenhum comentário: