sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Facas Vira Bosta







Facas Vira Bosta
Grande amigo dos gaúcho e apreciador da nossa cultura Asved Richard Michels da Fontoura, conhecido como Sal Grosso, 47 anos e fundador das facas vira bosta, infelizmente partiu, vítima de acidente de trânsito no município de Nova Mutum - MT.
Mas nos deixou sua obra para sua família e principalmente para os gaúchos e amigos que deixou por esse mundo a fora. Que é as facas vira bosta que dispensa apresentação.
Todos rodeios e feiras estavam lá Mara sua esposa e Sal Gosso comercializando uma das melhores facas do mundo.
Nessa Expoínter e na semana farroupilha do harmonia o público poderá comprar ainda os últimos exemplares confeccionados por sal grosso, mas as facas vira bosta não acabam por ai Sal Grosso deixo uma equipe treinada que continuaram a confeccionar as facas feitas num aço forte que hoje é uma marca forte.


Vira Bosta, um bicho forte gravado num aço forte!

Bem-vindo ao site oficial das facas Vira Bosta, cuja marca, possui um nome marcante e ao mesmo tempo estranho.
A Facas Vira Bosta é uma empresa de cutelaria e acessórios de alta qualidade e exclusividade, fabricados artesanalmente.
Na seção Empresa você poderá conhecer mais sobre a Facas Vira Bosta e sua história.
Para conhecer nossos produtos, visite a seção Facas.
Aprenda a maneira correta de chairar uma boa faca na seção Curiosidades.
Vira Bosta é um besouro da família coleóptero, que é, proporcionalmente, o bicho mais forte do mundo. Ele vira/rola a bosta do gado com suas patas traseiras e a enterra. Fazendo isso ele fertiliza, irriga, oxigena e aduba o solo. Além disso combate a mosca do chifre e salva as fazendas.
Pela força que ele representa para nossa terra, nasceu a marca da faca, sendo assim: “ Um bicho forte, gravado num aço forte”.
A história por trás das Facas Vira Bosta
Asved Richard Michels da Fontoura, mais conhecido como Sal Grosso, aprendeu o ofício da cutelaria com seu avô há 30 anos atrás. Durante este período até o ano de 2000, Sal grosso, sempre que tinha um tempo livre, estava forjando aço, transformando-o em belas facas. Neste período fez e testou todo o tipo de aço que lhe caía nas mãos; Já fez facas usando mola do Ford 29 e até mesmo de hélice de avião.
Suas facas sempre foram um sucesso entre os amigos de Sal Grosso ligados ao nativismo, pois Sal Grosso costuma presenteá-los com suas criações.
Experimentar todo o tipo de aço que vem em forma de mola ou lingote, era para ele, um desafio para encontrar a têmpera e a dureza perfeita.
Até que um dia, um de seus amigos o presenteou com uma mola de trem, que foi trazido da Serra Gaúcha. Sal Grosso, quase enlouqueceu de euforia e felicidade, pois acabou de encontrar o aço que o satisfez, e preenchia tudo o que ele achava que uma faca precisava em termos de qualidade. Então, por dois anos seguidos, ele foi atrás das sucatas das redes ferroviárias até juntar toneladas deste material.
Daí nasceu a faca Vira Bosta feita da mola dos trens ingleses com mais de 100 anos, porquê todos os nossos antigos trens Maria Fumaça foram fabricados na Inglaterra.
Hoje em dia, Sal Grosso explica a história do besouro para todas as pessoas que desejam conhecer seu produto. Muito simpático, ele e sua esposa podem ser encontrados nos principais rodeios e feiras do Rio Grande do Sul ou Santa Catarina.

Um comentário:

PH Fabreto disse...

gosto muito de apreciar obras de arte canivetes e facas me chamam atenção tenho um amigo cuteleiro o "BERARDO" já fui vê-lo fazer suas facas, é uma verdadeira obra prima, não conheci o Sal Grosso mas posso dizer que perdemos um artista, uma pessoa que fez a diferença, e que certamente deixou seu nome gravado na história,a familia digo que tiveram o privilegio de te-lo, e a ele esprero que esteja em boas mão (junto a Deus) PHFABRETO@GMAIL.COM