quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Bicampeão da América


Foto: Diego Vara

Bicampeão da América! Inter vence o Chivas de virada e conquista a Libertadores
No Beira-Rio, Rafael Sobis, Leandro Damião e Giuliano garantem o título do Inter sobre os mexicanos

Eduardo Cecconi - clicEsportes
eduardo.cecconi@rbsonline.com.br

O Inter passou nesta noite de quarta-feira a segunda demão de tinta vermelha no continente americano. Com gols de Rafael Sobis, Leandro Damião e Giuliano, a equipe treinada por Celso Roth venceu o Chivas Guadalajara por 3 a 2, no Estádio Beira-Rio.

Com o resultado, o Inter conquista pela segunda vez a Copa Libertadores da América. Fabian havia marcado o gol dos mexicanos, no primeiro tempo. Omar Bravo fez o segundo no final.

Agora o Inter vai a Abu Dhabi, em dezembro, disputar o Mundial de Clubes da Fifa sem desconfiança. Afinal, chegará aos Emirados Árabes como legítimo campeão da América.

Pouco espaço e muitas faltas

Definitivamente o Chivas chegou a Porto Alegre disposto a mudar a má imagem que passou no jogo de Guadalajara. No sistema tático 3-4-3, marcando forte, os mexicanos bloquearam as principais jogadas coloradas, e controlaram a posse de bola.

Araujo fez marcação individual em D'Alessandro, e o Inter não soube responder. Para piorar, toda vez que algum jogador vestindo vermelho recebia um passe, outro atleta do Chivas prontamente apelava para a falta.

Ainda assim o Inter conseguiu criar boas jogadas, invariavelmente com Tinga e D'Alessandro. Na melhor delas, ambos trocaram passes, Rafael Sobis fez o corta-luz, e Taison obrigou Luís Michel a espalmar para o lado.

Surpresa antes do intervalo

Mesmo com a insistência colorada em buscar espaços, a disposição mexicana foi premiada ainda no primeiro tempo. Fabian recebeu na área e de voleio antecipou-se a Índio, para acertar o ângulo. Um golaço. Aos 42min, o Chivas abria o placar.

O gol levava a decisão da Copa Libertadores 2010 à prorrogação. Silenciou o Beira-Rio, mas não fez esmorecer os torcedores, que ao final do primeiro tempo aplaudiram os jogadores do Inter.

A estrela de Sobis

O Inter voltou do intervalo com uma mudança tática. Celso Roth inverteu Taison e D'Alessandro de lado, passando o argentino para a esquerda, na tentativa de acrescentar Kleber às jogadas ofensivas. E foi preciso pouco tempo para a mudança dar certo.

Aos 17 minutos Kleber cruzou na área e Rafael Sobis, com oportunismo, empatou a partida. O atacante comemorou sozinho, enquanto todos os companheiros correram para abraçar Celso Roth no reservado.

Sobis só entrou em campo porque Alecsandro, lesionado, não pode jogar. Acanhado na partida até o gol, o jogador mostrou mais uma vez ser fonte de sorte. No México, assim que entrou em campo Sobis, o Inter virou a partida para 2 a 1.

Virada vem do banco

Leandro Damião, jovem, substituiu Rafael Sobis. E não se intimidou. Com uma arrancada fulminante, venceu zagueiros e bateu com violência, aos 31 minutos, decretando a vitória de virada. Um golaço.

Giuliano, que também saiu do banco, marcou o terceiro aos 44 minutos, batendo com categoria na saída do goleiro. Nada mais justo que o talismã colorado marcar na decisão.

No final do jogo, Omar Bravo ainda descontou. Mas nada suficiente para tirar a alegria da nação colorada.

Inter 3 a 2. Inter campeão da América pela segunda vez. Inter bicampeão da Libertadores! O Estádio Beira-Rio quase não coube em si nesta noite histórica para todos os colorados.
fonte: clic RBS

Um comentário:

Gaúcho Taura disse...

Bueno! Por 180 minutos torci pro time com nome de wisky. Mas, como bom gaúcho, o que importa para os colorados é o campeonato de uma importância como a libertadores. E como gaúcho, estou orgulhoso, pois, passamos em média por São Paulo (seis canecos para quatro grandes), Rio (dois canecos para 4 grandes) e Minas (dois canecos para dois grandes). E o Rio Grande, tem quatro canecos para dois clubes grandes. Estou apenas repassando palavras do jornalista corintiano Joca Kfouri.